Diário 24 Horas

Anvisa aprova com unanimidade CoronaVac e primeira brasileira é imunizada contra Covid-19

A enfermeira Mônica Calazans, de 54 anos, foi a primeira a ser vacinada no Brasil.
A enfermeira Mônica Calazans, de 54 anos, foi a primeira a ser vacinada no Brasil.
PorBruna Pinheiro

Neste domingo (17) a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou com unanimidade o uso emergencial da CovonaVac e também da vacina de Oxford para ser aplicada nos brasileiros contra a Covid-19. Após a aprovação, o Governo de São Paulo organizou uma coletiva de imprensa para mostrar a aplicação da primeira dose.

De acordo com a Anvisa, a reunião que discutiu o tema teve duração de cinco horas e teve aceite de todos os envolvidos. o diretor-presidente da Anvisa, Antônio Barra Torres, afirmou: "A imunidade com a vacinação leva algum tempo para se estabelecer. Portanto, mesmo vacinado, use máscara, mantenha o distanciamento social e higienize suas mãos. Essas vacinas estão certificadas pela Anvisa, foram analisadas por nós brasileiros por um tempo, o melhor e menor tempo possível. Confie na Anvisa, confie nas vacinas que a Anvisa certificar e quando ela estiver ao seu alcance vá e se vacine."

Na diferenciação entre as vacinas, segundo Leonardo Filho, estatístico da Anvisa, a eficácia da Coronavac é de 50,4%, em percentual arredondado. Já de acordo com o gerente de Medicamentos, Gustavo Mendes, a eficácia da vacina de Oxford é de 70,42%. A partir de amanhã (18), a partir das 7h, aviões da FAB irão distribuir as doses já disponíveis para todo território nacional, segundo foi confirmado pelo Ministro da Saúde Eduardo Pazuello. A vacinação assim, deve iniciar na quarta-feira (20) às 10h.

Em São Paulo, Mônica Calazans foi a primeira a ser vacinada no Brasil, durante coletiva do governo paulista para divulgar a vacina produzida pelo Instituto Butantan em parceria com o laboratório chinês, SinoVac. A vacinação de Mônica foi altamente comemorada nas redes sociais e acompanhada por dezenas de jornalistas.

Mulher, negra e enfermeira, Mônica, de 54 anos, faz parte do grupo de risco para a doença, e atuou na linha de frente contra a Covid-19 no Instituto de Infectologia Emílio Ribas. O segundo vacinado foi o também enfermeiro Wilson Paes de Pádua, de 57 anos que trabalha no hospital Vila Penteado. O governador João Doria se emocionou ao conversar com os profissionais que foram vacinados e entregou à eles um selo simbólico com os dizeres “Estou vacinado pelo Butantan” e uma pulseira com a frase “Eu me vacinei”.

+Coronavírus

Sobre o autorBruna Pinheiro
Internacionalista. Escrevo hoje sobre política, economia, filmes e séries. Adoro viajar e comer (não necessariamente nessa ordem). Segue lá @bpinheiro1