Brasil x Argentina | Saiba quem ganhou no vôlei masculino nas Olimpíadas

O Brasil enfrentou uma seleção argentina embalada pela boa fase de De Cecco e Palacios
O Brasil enfrentou uma seleção argentina embalada pela boa fase de De Cecco e Palacios
Marcos Henderson
PorMarcos Henderson

A partida de vôlei masculino entre Brasil e Argentina nesta segunda-feira (26) forneceu a maior zona de perigo para a seleção brasileira até agora nas Olimpíadas de Tóquio. Embalados pela ótima fase de Ezequiel Palacios e Luciano De Cecco, a seleção argentina abriu dois sets de vantagem com expressiva facilidade, criando um cenário contra a maré que motivou os brasileiros a buscarem um jogo reativo em seguida.

O primeiro set da partida começou com desempenhos divididos entre pequenos erros e grandes acertos de ambas as equipes, mas a Argentina abriu larga vantagem após o Brasil marcou o décimo sexto ponto, chegando a um tranquilo 25 a 19 no final do primeiro set, mostrando uma atuação impecável entre os levantamentos e passes de De Cecco e os ataques fortes e precisos de Palacios. 

Palacios representou o maior perigo ofensivo contra o Brasil
Palacios representou o maior perigo ofensivo contra o Brasil
Palacios representou o maior perigo ofensivo contra o Brasil

No segundo set, a Argentina se mostrou forte mais uma vez, furando os bloqueios brasileiros com ataques perfurantes, procurando as opções mais baixas em estatura como mira central na equipe canarinha, a exemplo da grande quantidade de ataques em cima do bloqueio de Bruninho. Mais uma vez, o jogo permaneceu disputado até o Brasil perder a equidade com o alargamento da vantagem argentina a partir da zona mais tensa do set, próximo aos 20 pontos. Final do segundo set: 25 a 21 para a Argentina. 

No terceiro set, o Brasil finalmente reagiu, desta vez com um posicionamento totalmente novo em meio a um momento em que os argentinos pareciam ter sentido o desgaste do ritmo fulminante dos dois primeiros sets. Com erros inéditos da Argentina, a seleção brasileira teve a chance de se reencontrar na partida, adquirindo confiança para solidificar os saques e os passes, garantindo uma vitória empolgante no terceiro set, fechando um impressionante 25 a 16 contra a Argentina. 

Leal e Lucarreli impulsionaram a seleção brasileira com fortes saques e ataques rápidos contra os argentinos
Leal e Lucarreli impulsionaram a seleção brasileira com fortes saques e ataques rápidos contra os argentinos
Leal e Lucarreli impulsionaram a seleção brasileira com fortes saques e ataques rápidos contra os argentinos

O quarto set poderia definir a vitória da Argentina ou possibilitar um empate para o Brasil. Agora, os argentinos pareciam mais descansados para retomar o ritmo forte dos primeiros sets, garantindo uma vantagem de pelo menos 3 pontos por boa parte do set. Perdendo de 17 a 11, os brasileiros reagiram, marcando cinco pontos consecutivos e encostando nos adversários, até conquistar a virada, com 19 a 18, levando o técnico argentino Marcelo Mendez à loucura. Energizado com a reação, o Brasil garantiu uma vitória concisa por 25 a 21 no quarto set, levando o jogo para o tie-break.

No set decisivo, ambas as equipes apostaram alto nos ataques, mesmo com os riscos de erros. Lucarelli e Leal continuaram o ritmo forte nos ataques e juntaram-se a Alan na prioridade ofensiva brasileira, não poupando os argentinos de bolas fulminantes no chão. No entanto, o set foi mais estudado do que os anteriores, já que alguns dos principais atletas já estavam desgastados, o que ficou visível nos saques.

Em uma virada surpreendente, o Brasil venceu a Argentina por 16 a 14 no tie-break e garantiu um placar final de 3 a 2. 

Comentários

O que você achou?
0GosteiGostei
0HahaHaha
0TristeTriste
0DetesteiDetestei
0AmeiAmei
0AffAff