Beyoncé vence batalha legal por registro do nome de Blue Ivy

Sua alegação já havia sido contestada pela planejadora de eventos Veronica Morales.
Sua alegação já havia sido contestada pela planejadora de eventos Veronica Morales.
Carol Souza
PorCarol Souza

Beyoncé está cada vez mais perto de registrar o nome de sua filha Blue Ivy, depois que as autoridades dos EUA rejeitaram um desafio ao pedido. A cantora está em uma batalha legal com Veronica Morales, proprietária da empresa de planejamento de eventos Blue Ivy Company, desde 2017. Na época, Beyoncé apresentou documentos legais que procuravam proteger os direitos comerciais de 'Blue Ivy Carter' - sua filha com Jay-Z.

Contestando a alegação, Morales disse que a marca seria muito semelhante à sua própria empresa e pediu aos funcionários do Escritório de Marcas e Patentes dos EUA que negassem a oferta. A certa altura, ela até acusou Beyonce de fraude e disse que a cantora não tinha intenção de usar o nome para fins comerciais.

No entanto, suas alegações foram negadas pelas autoridades, que decidiram que não há evidências que sugiram que os membros do público confundam as duas marcas.

Eles declararam, conforme o portal The Blast relata: "Como descobrimos que a Opositora falhou em estabelecer que a Requerente não possuía uma intenção genuína de usar sua marca em conexão com os produtos e serviços identificados na solicitação, sua reivindicação de fraude com base nela... falha também".

Espera-se agora que o Escritório de Marcas e Patentes dos EUA conceda oficialmente a marca comercial à Beyoncé. 

Na semana passada, Beyonce lançou um novo fundo para conceder subsídios a empresas de propriedade de negros por meio de sua fundação BeyGOOD. O fundo foi iniciado em colaboração com a Associação Nacional para o Avanço das Pessoas de Cor (NAACP).

O Fundo de Impacto para Pequenas Empresas de Propriedade Negra fornecerá doações de US$ 10.000 para proprietários de empresas "em cidades selecionadas para ajudar a sustentar os negócios durante esse período".

Beyoncé lançou a fundação BeyGOOD em 2013 "para inspirar as pessoas a serem gentis, caridosas e a #BeyGood [ "ser boas", em tradução livre] para si mesmas, para outros, para a comunidade e para o nosso mundo".

Em abril, a estrela doou US$ 6 milhões para os esforços de alívio de coronavírus por meio da fundação em conjunto a uma parceria com a iniciativa #startsmall do CEO do Twitter, Jack Dorsey. O dinheiro foi usado para ajudar comunidades de cor e organizações, à medida que a pandemia de coronavírus se espalhava pelos EUA.