Covid-19: Doria afirma que vacina pode chegar em janeiro no SUS

Governador de São Paulo demonstra otimismo com a CoronaVac, produzida na China
Governador de São Paulo demonstra otimismo com a CoronaVac, produzida na China
PorMarcos Henderson27/07/2020 14h24

A vacina contra a Covid-19 pode chegar ao Sistema Único de Saúde (SUS) a partir de janeiro de 2021, de acordo com informações do governador de São Paulo, João Doria, nesta segunda-feira (27), em entrevista à Rádio Itatiaia. Segundo ele, a produção da vacina poderia ser iniciada na segunda quinzena de novembro, caso os testes sejam concluídos com bons resultados e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária autorize a confecção em larga escala. 

"Aí teríamos uma quantidade necessária para iniciar a imunização de brasileiros de todo o país no início de janeiro de 2021 pelo Sistema Único de Saúde“, informou o governador. Vários países desenvolvem suas vacinas contra o vírus que já atingiu mais de 16 milhões de pessoas pelo mundo, mas a CoronaVac, desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac Biotech, é uma das mais promissoras até o momento. No Brasil, a vacina é testada sob o comando do Instituto Butantan.

Apesar de desenvolvida na China, a CoronaVac, se tiver sua eficiência comprovada, poderá ser produzida em larga escala no Brasil, sem a necessidade de importação de unidades produzidas no exterior. Isso porque o Instituto Butantan está adaptando uma fábrica para produzir a vacina nacionalmente, reduzindo consideravelmente o tempo até a disponibilização no SUS. Mesmo assim, o acordo ainda permite que o Brasil receba cerca de 60 milhões de doses fabricadas na China, para somar às 100 milhões de doses que poderão ser fabricadas pela fábrica adaptada.

Instituto Butantan adapta fábrica para produção da vacina em território nacional
Instituto Butantan adapta fábrica para produção da vacina em território nacional
Instituto Butantan adapta fábrica para produção da vacina em território nacional

“Não há importação da vacina, o instituto Butantan estará produzindo aqui a vacina contra o coronavírus. É a mensagem da esperança diante de um quadro tão grave e tão difícil quanto este da pandemia que se abateu sobre o Brasil e outros 215 países do mundo”, informou Doria em entrevista à Globo News. 

12 centros de pesquisa aplicam a vacina chinesa em 9 mil voluntários, todos profissionais da saúde, em Minas Gerais, São Paulo, Parana, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Distrito Federal, mais mais de um milhão de voluntários para o ensaio clínico. O acordo entre o laboratório Sinovac e o governo de São Paulo é estimado em R$ 85 milhões e prevê a transferência total de tecnologia para a produção no Instituto Butantan.

+Coronavírus

Sobre o autorMarcos Henderson
Publicitário, músico e, aqui, escrevo sobre o que as diferentes culturas têm a nos dizer. Como artista, celebro a força da arte e conto histórias do entretenimento. Twitter: @marhoscenderson