Johnny Depp foi inserido em "galeria de abusadores" junto a Harvey Weinstein, dizem advogados

Equipe jurídica do ator afirma que ele foi adicionado injustamente a uma lista de criminosos sexuais
Equipe jurídica do ator afirma que ele foi adicionado injustamente a uma lista de criminosos sexuais
PorMarcos Henderson28/07/2020 12h36

Os advogados de Johnny Depp afirmaram que o ator foi adicionado a uma galeria de abusadores ao lado de nomes como o magnata do cinema, Harvey Weinstein, criminoso sexual condenado a 23 anos de prisão. A equipe jurídica fez a alegação como parte do processo da estrela de Piratas do Caribe contra o News Group Newspapers, atual editora do jornal The Sun, e seu editor executivo Dan Wootton, pela publicação de um artigo em abril de 2018 no qual o ator é chamado de "espancador de mulheres".

Leia também: Amber Heard acusa Johnny Depp de atirar garrafas contra ela

Os advogados dizem que a peça "colocou o Sr. Depp na mesma categoria de Harvey Weinstein e invocou os movimentos #MeToo e Time's Up, para que nenhum leitor tenha dúvidas quanto à seriedade do que Depp fez", e ainda acrescenta que o reclamante está incluído na galeria de agressores contra os quais os movimentos #MeToo e Time's Up estão fazendo campanha, citados no mesmo fôlego que Harvey Weinstein, que havia se tornado notório na época por ter cometido vários ataques hediondos contra mulheres."

Depp está processando editora do The Sun e o diretor executivo Dan Wootton
Depp está processando editora do The Sun e o diretor executivo Dan Wootton
Depp está processando editora do The Sun e o diretor executivo Dan Wootton

Os advogados de Depp disseram que a comparação foi repetida no julgamento "equiparando Depp a Harvey Weinstein no interrogatório de Kendall". A atriz Katherine Kendall, uma defensora do movimento #MeToo, deu provas no julgamento de Depp, dizendo que ela se sentiu "citada e mal utilizada" ao comentar sobre o artigo.  

Em uma declaração escrita ao Supremo Tribunal de Londres, ela disse que, ao ler o artigo, percebeu que "havia sido completamente citada e mal utilizada pelo The Sun para atingir seu objetivo. Na minha breve entrevista, eu realmente disse muitas das coisas opostas ao que o The Sun havia citado como eu mesma.”

Leia mais: Johnny Depp diz que fezes de Amber Heard em sua cama foram o estopim do divórcio

Três semanas atrás, em sua declaração de abertura, o advogado de Depp, David Sherborne, disse que Wootton e o jornal The Sun escolheram "fazer referências deliberadas e altamente atuais aos movimentos #MeToo e Time's Up", bem como a Weinstein, além de afirmar que Depp decidiu abrir a ação como forma de vingança, "para limpar sua reputação". 

+Johnny Depp

Sobre o autorMarcos Henderson
Publicitário, músico e, aqui, escrevo sobre o que as diferentes culturas têm a nos dizer. Como artista, celebro a força da arte e conto histórias do entretenimento. Twitter: @marhoscenderson