Diário 24 Horas

Vacina de Oxford contra Covid-19 tem eficácia de até 90%; Entenda os testes

A eficácia máxima foi alcançada nos casos em que foi aplicada meia dose seguida de uma dose completa
A eficácia máxima foi alcançada nos casos em que foi aplicada meia dose seguida de uma dose completa
PorMarcos Henderson

A vacina contra Covid-19 desenvolvida pela Universidade de Oxford em parceria com a AstraZeneca apresentou eficácia de até 90% nos dados preliminares obtidos nos testes da fase 3. 

Os níveis de eficácia foram divididos pela dosagem administrada em cada voluntário. O maior índice, de 90%, foi registrado nos casos em que os cientistas aplicaram meia dose inicial seguida de uma dose completa. Já quando administrado em duas doses completas, a eficácia caiu para 62%. No resultado geral, a vacina apresentou eficácia de 70,4%. 

Leia mais: Vacina da Pfizer e BioNTech contra Covid-19 confirma eficácia de 95%

O estudo, envolvendo mais de 24 mil voluntários, mostrou que não houve casos graves entre aqueles que receberam a vacina. O secretário de Saúde Matt Hancock afirmou que o Reino Unido possui 100 milhões de doses da vacina encomendadas e espera-se que ela seja lançada no ano novo. "Estamos muito confiantes agora que depois da Páscoa as coisas podem realmente começar a voltar ao normal", declarou Hancock.

O professor Andrew Pollard, diretor do Oxford Vaccine Group e pesquisador-chefe do Oxford Vaccine Trial, disse que "essas descobertas mostram que temos uma vacina eficaz que salvará muitas vidas. Incrivelmente, descobrimos que um de nossos regimes de dosagem pode ser cerca de 90 por cento eficaz e se este regime de dosagem for usado, mais pessoas podem ser vacinadas com o fornecimento planejado de vacina".

Leia também: Bolsonaro comemora suspensão de testes da vacina CoronaVac após morte de voluntário

No Reino Unido, existem quatro milhões de doses da vacina Oxford prontas para uso. Mas nada pode acontecer até que a vacina seja aprovada pelos reguladores que avaliarão a segurança e eficácia da vacina e que ela seja fabricada com alto padrão. Residentes e funcionários de lares de idosos deverão ser os primeiros na fila para aplicação das doses da vacina, seguidos por profissionais de saúde e pessoas com mais de 80 anos.

+Coronavírus

Sobre o autorMarcos Henderson
Publicitário, músico e, aqui, escrevo sobre o que as diferentes culturas têm a nos dizer. Como artista, celebro a força da arte e conto histórias do entretenimento. Twitter: @marhoscenderson