Polícia interrompe festa com 500 pessoas na casa de Elba Ramalho

A cantora afirma que alugou a casa do dia 25 de dezembro a 4 de janeiro para terceiros
A cantora afirma que alugou a casa do dia 25 de dezembro a 4 de janeiro para terceiros
Marcos Henderson
PorMarcos Henderson

Uma festa com cerca de 500 convidados foi interrompida pela polícia na última terça-feira (29), em Trancoso, distrito de Porto Seguro, na Bahia. A casa onde era realizado o evento pertence a Elba Ramalho, que teria alugado o espaço para turistas de São Paulo, segundo relato da cantora, que não estava na festa, e sim no hotel ClubMed, a 10 quilômetros de sua casa, onde permanecerá até o dia 6 de janeiro. 

"A casa foi alugada do dia 25 de dezembro ao dia 4 de janeiro, como todos os anos eu faço. Esse é um período em que eu alugo outra casa ou fico numa pousada porque eu venho mesmo para descansar. A casa está nas mãos de outras pessoas, que vão responder. A responsabilidade é delas, não é minha", esclareceu a cantora, que ainda revelou que estava na igreja quando soube da aglomeração. 

"Estava na missa. Estava na igreja às 19h, fazendo a leitura de Salmos quando comecei a receber mensagem sem entender o que estava acontecendo. Fui incisiva com eles, dizendo que não poderiam infringir a regra determinada pelo juiz de Porto Seguro, que seria festa somente para 200 pessoas. Eles sabiam disso", disse Elba. 

"Estou tranquila no meu canto. Fui na inauguração de uma loja de um grande amigo e tomei um vinho. Sou filha de Deus, sou humana. Todo mundo testado. Temos um amigo que é dono de um laboratório e ofereceu teste de Covid-19 para todo mundo. Dançamos um pouquinho de forró, nada demais", disse a cantora ao afirmar que só compareceu a um evento desde quando chegou em Trancoso. 

Apesar do ocorrido, Elba Ramalho garante que está tranquila. "Realmente eu sou totalmente inocente nessa história. Sou uma pessoa supertranquila, não gosto de festas. Minha relação é com o povo da terra. Estou num lugar muito calmo e não posso responder pelas pessoas que alugaram a casa. A polícia fez muito bem em ir lá e acabar com a festa. Pra mim, foi um susto saber que eles estavam fazendo isso até porque eu estava o tempo todo atenta, dizendo não pode fazer, não pode infringir a lei. As pessoas se aproveitam do momento para me atacar e eu não tenho culpa de nada", insistiu a cantora, que deverá tomar providências através de seus advogados. 

Comentários

O que você achou?