Allan dos Santos foge do Brasil; Blogueiro do Terça Livre é investigado pelo STF

Dono do site Terça Livre confirmou que deixou o país, mas não esclareceu o paradeiro
Dono do site Terça Livre confirmou que deixou o país, mas não esclareceu o paradeiro
PorMarcos Henderson31/07/2020 11h53

O blogueiro Allan dos Santos, dono do site Terça Livre, participou de uma transmissão ao vivo na última quinta-feira (30) e revelou que deixou o Brasil, sem deixar claro em que país está localizado atualmente. Ele está sendo investigado no inquérito das fake news pelo Supremo Tribunal Federal (STF), mas aparentou tranquilidade durante a Live promovida por Bia Kicis. 

Na transmissão, também estavam presentes o youtuber de extrema direita, Bernardo Küster e o norte-americano Ryan Hartwig, ex-funcionário do Facebook que teria feito uma denúncia da empresa ao Congresso dos EUA. O motivo? Censura aos conservadores. O "Grande Debate", como foi intitulada a Live de ontem, reuniu supostos argumentos que evidenciavam uma espécie de perseguição contra o público conservador, que almeja, de alguma forma, obter um poder supremo para atacar quaisquer opositores com desinformações sem que recebam algum tipo de consequência à altura. 

O blogueiro participou de uma live comandada por Bia Kicis
O blogueiro participou de uma live comandada por Bia Kicis
O blogueiro participou de uma live comandada por Bia Kicis

Bernardo, assim como Allan dos Santos, teve sua conta no Twitter bloqueada internacionalmente, por determinação do ministro Alexandre de Moraes. O dono do Terça Livre, como de praxe, fez acusações sem provas contra o ministro do STF, Luís Roberto Barroso, alegando que ele teria cometido prevaricação, que consiste em "retardar, deixar de praticar ou praticar indevidamente ato de ofício, ou praticá-lo contra disposição expressa de lei, para satisfazer interesse ou sentimento pessoal."

Leia também: Bolsonaro provoca aglomeração em Bagé

Segundo Santos, Barroso tinha conhecimento de um suposto crime que teria como alvo o presidente Jair Bolsonaro, mas não fez nenhuma denúncia. O blogueira ainda foi além, dizendo que um servidor do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) teria contratado uma empresa para investigar ilegalmente o presidente através de grampos telefônicos. 

Com um show de desinformação e argumentos que mais parecem uma espécie de brincadeira programada, a Live de Bia Kicis serviu para nos mostrar que, apesar do grave teor das investigações, Allan dos Santos teve total liberdade para deixar o país e continuou promovendo acusações sem provas contra o STF e o Congresso, ao mesmo tempo em que amplia sua base de simpatizantes e, consequentemente, diminui as chances de conscientizar a população sobre a importância de verificar as informações contidas na web, sobretudo no que diz respeito aos crimes de improbidade administrativa do presidente, que também sai ileso de seus atos controversos e nitidamente prejudiciais ao país.

+Política

Sobre o autorMarcos Henderson
Publicitário, músico e, aqui, escrevo sobre o que as diferentes culturas têm a nos dizer. Como artista, celebro a força da arte e conto histórias do entretenimento. Twitter: @marhoscenderson