Menino Miguel: Mãe dá depoimento emocionante no 'Encontro' e comove público

Mirtes Renata não conteve as lágrimas ao falar do filho.
Mirtes Renata não conteve as lágrimas ao falar do filho.
Kelly Lima
PorKelly Lima

A trágica morte de Miguel, uma criança de 5 anos, que caiu do nono andar de um prédio em Recife, deixou o Brasil inteiro chocado. A notícia vem sendo amplamente noticiada pela mídia e a negligência por parte da patroa da mãe do menino, que está sendo responsabilizada pela tragédia, revolta e machuca até os menos sensíveis.

Nesta sexta-feira, 03, a apresentadora Fátima Bernardes abriu espaço em seu programa, o ‘Encontro’, para que a mãe do garotinho pudesse pudesse abrir o coração e falar sobre a triste perda. O depoimento foi emocionante e comoveu quem o assistiu.

Através de uma vídeo-chamada, Mirtes Renata entrou no ar durante a exibição do ‘Encontro’. Visivelmente emocionada, ela relatou detalhes sobre os momentos que antecederam a tragédia que levou Miguel a óbito e lamentou aos prantos o fato de não poder mais ter o menino consigo. A dor desta mãe transbordou de tal forma, que foi impossível se manter insensível. Fátima Bernardes foi às lágrimas ao vivo, comovida com os relatos. 

O público também ficou extremamente tocado. Muitas pessoas utilizaram as redes sociais para manifestar suas emoções e apoio à Mirtes. A mãe do menino ainda comentou sobre sua relação com os filhos da antiga patroa e deixou claro que não vai desistir de clamar por justiça pelo filho morto.

A tragédia ocorreu na última terça-feira, 02, quando Mirtes levou o filho para seu local de trabalho, já que as creches da cidades se encontram fechadas por conta da pandemia de coronavírus e não tinha com quem deixá-lo. Ao sair para dar uma volta com o cachorro dos patrões, ela deixou o filho sob os cuidados da patroa, Sari Corte Real, que fazia as unhas no local.

Incomodada com o choro do menino, a patroa o colocou dentro de um elevado para que fosse sozinho procurar pela mãe, como mostra as filmagens internas divulgadas pela polícia. Do quinto andar, a criança foi parar no nono e de lá caiu para a morte de uma alta de 35 metros. Sari foi indiciada por homicídio culposo, quando não dá intenção de matar.

Veja um trecho do depoimento: