Diário 24 Horas

Richie Sambora desabafa sobre turnês com Bon Jovi: 'Você é pago para ficar longe da família'

O guitarrista posou ao lado da filha, Ava, para a nova edição da revista People
O guitarrista posou ao lado da filha, Ava, para a nova edição da revista People
PorMarcos Henderson

O ex-guitarrista do Bon Jovi, Richie Sambora, desabafou sobre os prós e contras de pertencer a uma das grandes referências do Rock nos anos 1980, garantindo que as performances sempre foram uma paixão, mas que também são o ponto crucial de afastamento da família

“No palco, essa foi a parte boa do dia quando você está na estrada”, diz Sambora na nova edição da revista People. "Você está fazendo as pessoas felizes e isso está bem na sua cara: 78.000 pessoas estão perdendo a cabeça de felicidade", diz ele. "Eu amo o trabalho. Ainda amo. Mas o que você está sendo pago para fazer é ficar longe de sua família."

Aos 61 anos, Sambora é pai de Ava, 23, fruto do relacionamento com sua ex, a lendária atriz Heather Locklear, e este foi um dos principais motivos que o levaram a deixar o Bon Jovi. “Eu amo ser pai mais do que qualquer outra coisa”, diz o guitarrista. "E eu tenho sorte de ter um relacionamento incrível com minha filha."

Durante a entrevista, Sambora explica que começou a tocar guitarra imitando alguns de seus grandes ídolos: “Eu aprendi sozinho a tocar fazendo de conta que era os Beatles, os Rolling Stones ou outra pessoa assim no espelho”. Depois de um breve período dando aulas de violão para crianças ("Eu era o professor gostoso", ele brinca), ele começou a tocar em estabelecimentos locais. 

"Eu trabalhava seis noites por semana em tempo integral. Mesmo em uma segunda ou terça-feira quando os clubes não podiam pagar por uma banda, mas eles certamente podem pagar por um cara com violão, eu iria trabalhar por cerca de US$ 100 e bebidas grátis", lembra o músico. “E eu era capaz de pegar um violão e ser capaz de mover a audiência. Era basicamente um exercício”.

Como um membro fundador do Bon Jovi, e um de seus principais compositores (ele foi o autor de "You Give Love a Bad Name" e "Livin' on a Prayer"), as coisas de repente aumentaram. "Estar em uma grande organização, uma grande banda como Bon Jovi, é realmente abrangente", diz ele. "Eu viajei muito, Deus Todo-Poderoso é um testemunho de que estou ocupado. Meu senhor, quando eu olho para trás e você começa a listar as coisas e as viagens. Foram 18 meses e meio de estrada, 52 países . E fizemos isso 14 vezes em um período de 31 anos. É tipo, uau. Era realmente hora de uma pausa."

+Rock

Sobre o autorMarcos Henderson
Publicitário, músico e, aqui, escrevo sobre o que as diferentes culturas têm a nos dizer. Como artista, celebro a força da arte e conto histórias do entretenimento. Twitter: @marhoscenderson