Sara Winter tem habeas corpus negado por ministra Cármen Lúcia

Winter é uma das cabeças do grupo armado '300 do Brasil'.
Winter é uma das cabeças do grupo armado '300 do Brasil'.
PorKelly Lima20/06/2020 02h18

Presa desde segunda-feira, 15, Sara Winter vem enfrentando muitas dificuldades para conseguir sua liberdade. A defesa da principal porta-voz do grupo de extrema direita “300 do Brasil” entrou com o pedido de quatro habeas corpus no Supremo Tribunal Federal, mas todos foram rejeitados pela ministra Cármen Lúcia, que não chegou a divulgar na íntegra sua decisão.

A apoiadora do presidente Jair Bolsonaro foi presa pela polícia federal a mando do ministro do STF Alexandre de Moraes, seguindo um pedido da Procuradoria-Geral da República. Todos estão sendo investigados. A investigação apura as manifestações de rua lideradas por Winter e outros cinco organizadores, que também tiveram as prisões decretadas. Além do forte cunho antidemocrático, há fortes indícios de que o grupo recolhe verbas para financiar o movimento, o que é bem grave e se enquadrar na Lei de Segurança Nacional.

Alexandre de Moraes prorrogou as prisões dos membros do grupo “300”, o que causou ainda mais pressa na defesa de Sara, que busca todas as formas possíveis de liberá-la. Contudo, parece que nem mesmo as pessoas por trás da defesa da ativista bolsonarista conseguem se entender. Recentemente, Cláudio Gastão da Rosa Filho, advogado criminalista, que estava à frente do caso, decidiu abandonar a empreitada. Ele trabalhava em conjunto com Bertoni Barbosa de Oliveira e Renata Tavares.

As manifestações organizadas por Sara Winter, na realidade Sara Giromini, pediam intervenção militar e o retorno do AI-15, além do fechamento do Congresso e STF. Eles chegaram a fazer uma passeata encapuzados e segurando tochas, em um ato que lembrava muito as manifestações da KKK (Ku Klux Klan), organização terrorista norte-americana de cunho racista, que perseguia, espancava e assassinava pessoas negras.

A apoiadora de Bolsonaro se diz ex-feminista e atualmente de extrema direita, defende o porte de arma e em muitos momentos se agarrou a um discurso de ódio, que atraiu muitos simpatizantes, principalmente nas redes sociais.

+Sara Winter

Comentários

Sobre o autorKelly Lima
Web designer por curiosidade, Desenhista por amor, Gestora de RH por teimosia, acadêmica de Geografia por sorte e redatora nas horas vagas. Twiiter: Kelly Nivelly (@KNivelly)